terça-feira, 28 de junho de 2011

Não

Por diversas ocasiões eu gostaria de ser diferente, mas eu não sou!

Eu não consigo me sentar à mesa para almoçar e não dividir meu almoço com outro ser humano...

Quando observo o chororô da falta de contentamento diário, não me recuso a oferecer apoio ao ser choroso...

Fico sem o famigerado e necessário dinheiro, mas eu o empresto (mesmo estando ciente que não haverá retorno)...

Se paga um doce aqui, uma passagem de ônibus ali... Ninharias na realidade, mas se algum matemático (ou algum sovina) efetuar a soma gera um bom montante.

Eu não consigo efetuar determinadas recusas!

Fico satisfeita em presentear os seres queridos, gosto desse carinho (lembrar de uma data comemorativa).

Tem aqueles seres humanos que aproveitam para se beneficiar da benevolência alheia.

Eu não me preocupo e acredito que não serei prejudicada por conta de não usar o não com constância.

Nenhum comentário: