sábado, 24 de novembro de 2012

Quem me dera

Quem me dera ter um vicio... Daqueles... Que não se vive sem... Que não consegue se largar!
Quem me dera ser dependente!
Quem me dera ter fascinação por algum animal de estimação... Amar um gatinho ou um cãozinho!
Quem me dera depender quimicamente de medicamentos controlados!
Quem me dera ser religiosa... Ter fé... Idolatrar anjos, deuses, bruxas, igrejas ou qualquer coisa do gênero... Cultuar di

vindades... Orar, rezar... Acreditar em Deus!
Quem me dera ter um amor para vida inteira ou o amor da minha vida... Ter uma paixão arrebatadora... Cometer loucuras de amor!
Quem me dera ser meiga, delicada e calma... Ser inocente!
Quem me dera ter uma válvula de escape ou um bode expiatório! Ter muletas ou amuletos...
Quem me dera poder desviar me ou fugir da realidade! Viver em outro mundo... No meu mundo! 

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Amiga solteira

Todo mundo deveria namorar uma mulher solteira!!!
Aquele ser que já nasce de salto alto... De boca vermelha, ombros de fora e drinque em punho. 
O animal mais bem relacionado da cadeia alimentícia! 
Amigos, colegas, cachos, ex-cachos, futuros maridos, tudo entrando pelo celular 24 horas por dia...
Como não amar? Quer uma festinha? Disque amiga solteira. Um cinema daqui a meia hora? Disque amiga so

lteira. Esticadinha da balada? É com ela mesma. Maquiagem de última hora? Na bolsa da amiga solteira sempre tem!
A amiga solteira já amou, já casou, já sofreu e levantou!
A boa amiga solteira é aquela que não tá caçando namorado, está só curtindo, se amando e carregando um pequeno bando consigo...
Forte, firme, ela tem sempre um casal animado a tiracolo e, claro, umas outras amigas solteiras na linha caso os pares de hoje desanimem.
A amiga solteira é uma central de acontecimentos culturais e programas improváveis. A amiga solteira sempre tem uma fofoca para animar o mais caído dos bares! Aliás, não há bar caído para a amiga solteira...
Não há dia cinza, chuva ou horário pra acordar. (...)
A amiga solteira é a alegria de tomara que caia!

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Livre do amor

Antes só, do que mal acompanhada!
É o ditado popular mais batido do mundo e faz sentido. 
Ser tolerante por causa de amor, compreensiva, fazer o possível para dar certo, nem sempre vale a pena. 
Eu faria tudo de novo, mas só porque preciso esgotar todas as possibilidades para não surtar, não porque eu acho que poderia dar certo de alguma outra forma. 
Os conselhos da minha mãe e das minhas amigas ecoam nos meus pensamentos, como um tipo de eu-te-avisei e eu concordo com a cabeça, fazer o que? Certas elas, burra eu! Sempre é tudo tão óbvio para o resto do mundo e me irrita esse tipo de estado patético de cegueira e total vulnerabilidade que o amor nos submete. 

Eu peço apenas que eu permaneça livre de qualquer amor ou quase isso,é um pedido desesperado e cansado, depois de tempos tão difíceis e tudo bagunçado por dentro. Acontece que, depois do amor, não dá para seguir em frente sem férias...
Então declaro, oficialmente, meu período de recesso emocional. Longo, eu espero!
Para respirar, me recompor, experimentar. Para me amar...
Eu não tenho forças e coragem para iniciar novas histórias...
Me dá calafrios toda vez que penso em me apaixonar!
Essas mulheres malucas de filme, que não deixam passar do segundo encontro para não criar nenhum tipo de vínculo, são espertas! Hoje é uma boa ideia...
Estou esperta ou louca também!